Home Emagrecimento Emagrecer? Perder Peso Dietas Receita Dieta
------------------------

Tecnicas para perder peso rapidamente.

Como Perder a Barriga
olta e meia nos deparamos com um método perfeito de como perder a barriga. Mas afinal, é possível perder barriga sem esforço e (de preferência!) rapidamente?

Perder Barriga?

Antes de mais nada, é importante salientar que quando falamos em perder barriga, normalmente nos referimos àquela gorduras que vão se localizando na região da cintura e quadris. É esta gordura que desejamos perder.

Como Perder a Barriga em 48 Horas

O título é chamativo mas, infelizmente, tão falso quanto uma nota de R$3. Quando você pensa em perder barriga, é importante ter em mente que a perda será um processo gradual, e que requererá perseverança de sua parte.

A regra é: o corpo elimina primeiro as gorduras acumuladas por último. Como as gorduras localizadas na cintura e quadris são, normalmente, as primeiras a se depositarem, ela serão as últimas a serem eliminadas.

Mas, afinal, como perder barriga?

Bom, a teoria é praticamente a mesma de como perder gordura localizada: exercitar incessantemente uma parte do corpo de forma alguma promove a eliminação das gorduras alí localizadas — o máximo que se consegue (o que, no entanto, não é prejudicial) é o reforço muscular e ósseo da região.

Portanto, os famosos exercícios para perder a barriga, tais como os abdominais, ajudam na tonificação da musculatura na barriga, o que é bom, mas pouco ou nada na eliminação da gordura acumulado na região.

Para perder barriga e, de preferência, conquistar aquele abdômen definido atlético, a solução é exercitar o corpo todo para promover a queima de calorias de forma geral.

Claro, a utilização de um programa alimentar balanceado e com acompanhamento, ajudará, e muito, no processo.
------------------------

Gordura Saudável – Omega 3.

Gordura Saudável – Omega 3
As gorduras boas vêm de alimentos saudáveis. A quantidade adequada das gorduras ideais para o seu tipo metabólico dá-lhe os nutrientes necessários para uma corpo saudável e impedem que fique com muita fome.
Estas gorduras encontram-se nos alimentos ou podem ser tomadas como suplementos.
Ácidos Gordos Essenciais
O corpo humano não consegue sobreviver sem algumas gorduras, especialmente sem os ácidos gordos essenciais. Os ácidos gordos essenciais são necessários para as seguintes funções biológicas:
Actividade cerebral e do sistema nervoso
Regulação hormonal
Sistema imunitário e outras funções orgânicas
Funcionamento celular
Digestão
Os nossos corpos precisam dos ácidos gordos essenciais mas não os conseguem produzir, por isso temos de os absorver dos alimentos que ingerimos.
Os dois tipos de ácidos gordos essenciais são o ómega-3 e o ómega-6. Os alimentos com muito ómega-6 são os cereais, carnes criadas em cativeiro, óleos utilizados em alimentos processados, vários óleos utilizados para cozinhar, incluindo o milho e as sementes de girassol.
Os ácidos gordos ómega-3 são encontrados em vegetais de folha verde, peixes oleosos (como o salmão), avelãs, ovos caseiros e carnes que não são criadas em cativeiro.
A proporção ideal de ómega-3 para ómega-6 está entre 1:2 e 1:4. Infelizmente a dieta europeia é abundante em cereais e óleos cozinhados e tem poucos vegetais e peixe saudável, fazendo com que a ingestão de ómega-6 seja alta e que a de ómega-3 seja baixa. Os rácios foram calculados e certas pessoas tem um rácio que chega a 1:50! Por isso devemos fazer um esforço consciente para reduzir a ingestão de ómega-6 e aumentar o consumo de ómega-3 para equilibrar as proporções.
As gorduras ómega-3 são vitais para o desenvolvimento e a manutenção do cérebro adulto e do sistema nervoso. No livro "The Omega Diet" de Artemis Simopoulos e de Jo Rabinson os autores descrevem um estudo onde há um grupo de ratos que tem uma dieta com pouco ómega-3 (a dieta típica americana com muitos hidratos de carbono, alimentos empacotados e processados, pouca fruta e vegetais) e esta levou a que os ratos tivessem menos rendimento mental em comparação com uma dieta com a quantidade adequada de ómega-3 (Simopoulos e Robinson 1998, 87).
Os mesmos autores afirmam que muitos síndromes e distúrbios comportamentais estão associados à falta de ómega-3 ou ao desequilíbrio entre ómega-3 e ómega-6. A lista de distúrbios inclui mas não está limitada a:
Asma
Síndrome de hiperactividade
Cancro
Depressão (nas crianças)
Diabetes
Ataques cardíacos
Resistência à insulina
Obesidade
-------------------------

Hidratos de Carbono.

Hidratos de Carbono
A maioria dos europeus e americanos comem demasiados hidratos de carbono – na forma de pão, cereais, massa, milho (um cereal, não um vegetal), arroz, batatas, bolos e outros petiscos – e isto tem graves consequências para a saúde.
Para tornar o problema ainda maior estes hidratos de carbono são consumidos a partir de alimentos processados. Depois de 130 anos de consumo de produtos altamente processados em forma de pão, pastelaria e cereais, as doenças crónicas como doenças cardiovasculares, colesterol alto e a obesidade aumentaram drasticamente nos países industrializados.
Eu não estou a sugerir que toda a gente deve seguir uma dieta com poucos hidratos de carbono; cada um de nós necessita de uma determinada quantidade de hidratos de carbono. O que a maioria das pessoas ainda não percebeu é que a capacidade de armazenamento de hidratos de carbono é bastante limitada e qualquer excesso é armazenado como gordura. Por isso é importante lembrar que os vegetais e as frutas também contém hidratos de carbono e que deve fazer as escolhas certas segundo o seu tipo metabólico.
Por exemplo, os alimentos ideais para alguém do Tipo Proteico pode incluir mais vegetais (que crescem acima do solo) e poucas frutas, enquanto que o Tipo do Carboidrato pode tolerar vegetais de raiz com mais amido e cereais.
Qualquer refeição ou petisco com uma quantidade elevada de carboidratos cria um aumento rápido da glucose no sangue (açúcar no sangue). Para compensar este aumento o pâncreas segrega insulina na corrente sanguínea para diminuir a glucose. A insulina é essencialmente uma hormona que armazena as calorias dos hidratos de carbono em excesso (armazena as calorias como gordura nas ancas, abdómen, etc) para quando precisamos de uma reserva de calorias, no caso de passar-mos fome.
O pior de tudo é que os níveis altos de insulina suprimem duas hormonas importantes: o glucagon e a hormona de crescimento humana, que regulam respectivamente o processo de queima de gordura e o processo de desenvolvimento muscular. Por isso a insulina libertada por causa dos hidratos de carbono em excesso promove a gordura e depois ainda inibe a capacidade do corpo perder essa gordura.
O primeiro objectivo de emagrecer rápido e com saúde é encontrar a quantidade certa de hidratos de carbono que lhe dão o combustível certo e energia durante todo o dia (mas não demasiada energia para que não ser armazenada como gordura), e depois é necessário consumir os hidratos de carbono certos para se sentir satisfeita e bem depois de uma refeição.

-------------------------

Dieta Macrobiótica.

Dieta Macrobiótica
A dieta macrobiótica parte do principio que a comida e a sua qualidade tem um efeito maior nas nossas vidas do que estamos acostumados a pensar. Os praticantes da dieta macrobiótica acreditam que a alimentação tem um efeito na nossa saúde física, mas também na nossa felicidade e no nosso bem-estar mental e físico.
Aqueles que seguem a dieta macrobiótica acham que os alimentos naturais, com pouco ou nenhum processamento são as melhores escolhas alimentares.
Além disso, acreditam em métodos tradicionais para cozinhar e tem um gosto especial de cozinhar para eles próprios e para os familiares e amigos. Esta não é uma dieta para emagrecer, é uma dieta para um estilo de vida saudável e equilibrado. Ela faz emagrecer, mas há formas mais fáceis de fazê-lo pois nem todas as pessoas querem modificar radicalmente os seus hábitos alimentares.
Traduzido à letra, macrobiótica significa "grande vida". Os médicos e filósofos de todo o mundo associam a macrobiótica com uma vida em harmonia com a natureza enquanto se come alimentos simples e de forma equilibrada e balanceada. Na década de 1920, George Ohsawa, o fundador da macrobiótica moderna afirmou que se tinha curado de uma doença séria através da dieta e filosofia macrobiótica.
Ohsawa acreditava na filosofia chinesa do Yin e Yang. O Yin representa o movimento centrífugo para o exterior, e o Yang representa o movimento centrífugo para o interior. O Yin e Yang são sempre opostos, sendo o Yin o doce, frio e passivo e o Yang é o salgado, quente e agressivo. Na dieta macrobiótica, o Yin e o Yang devem estar sempre em equilíbrio para uma vida saudável.
Como este equilíbrio do Yin e Yang é uma base da dieta macrobiótica, os alimentos são classificados com um ou outro. Esta divisão é feita a partir das características, sabores e efeitos dos alimentos.
Os cereais ou vegetais não são fortes em Yin ou Yang. Desta maneira tornam-se especialmente importantes na dieta macrobiótica. Estes alimentos mais neutros facilitam o equilíbrio entre Yin e Yang, e os alimentos que são fortes em Yin ou Yang devem ser evitados na dieta macrobiótica.
Todos os alimentos da dieta macrobiótica devem ser orgânicos, ou seja, livres de químicos e pesticidas. Cereais integrais, como a cevada, arroz integral, aveia, centeio, trigo integral e o fagópiro são os alimentos mais equilibrados na dieta macrobiótica. Estes alimentos compõem entre 50 e 60% da alimentação desta dieta. Os cereais integrais são os de eleição na dieta, mas pequenas porções de pão e massa a partir de cereais refinados são aceitáveis.
Vegetais frescos compõem entre 25 e 30% da dieta macrobiótica. Brócolos, repolho, couve-flor, couve, rabanetes, cebola e a abóbora são os principais vegetais incluídos na dieta. A alface, aipo, ervilhas, cogumelos e o feijão devem ser incluídos na dieta duas ou três vezes por semana. Na dieta macrobiótica os vegetais devem ser cozinhados levemente a vapor ou podem ser salteados em óleo não refinado, pode ser em óleo de milho ou de sésamo.
5 a 10% dos alimentos da dieta macrobiótica consistem em vegetais do mar ou feijão. Tofu e lentilhas são recomendadas. Os vegetais do mar (algas) devem também ser incluídos na dieta. Estes vegetais são ricos em vitaminas e minerais.
As sopas compõem também 5 a 10% da dieta macrobiótica e devem ter soja, feijão e vegetais.
Algumas porções de sementes, amêndoas e peixe fresco (como o linguado e o bacalhau) podem ser comidos uma vez por semana. Os adoçantes que podem ser utilizados nesta dieta são o malte e xarope de arroz. Vinagre de arroz integral e de ameixa podem também ser utilizados ocasionalmente. O molho de soja Tamari e sal marinho podem ser utilizados para dar sabor às sopas e aos cereais.
As bebidas geralmente aceites na dieta macrobiótica são os chás feitos de dentes de leão verdes, cereais torrados, ou água que sobrou de preparar as massas. Os chás que contem cafeína ou aromas são inaceitáveis. Além disso, toda a água para cozinhar ou beber deve ser purificada antes de consumir ou utilizar.
Alimentos como ovos e lacticínios são alimentos com muito Yang. O chocolate, açúcares refinados, frutas tropicais, café, sumo de fruta, refrigerantes e especiarias fortes são fortes em Yin. Assim todos estes alimentos devem ser evitados na dieta macrobiótica. Todos os alimentos com adoçantes ou sabores artificiais, conservantes e corantes devem também ser evitados.
A dieta macrobiótica é uma das dietas mais radicais e difíceis de seguir. Não é uma dieta para emagrecer rapidamente e esquecer, pois a maioria das pessoas não tem a força mental e a paciência fazer um regime com tantas regras e detalhes. Além disso, esta dieta é difícil de seguir hoje em dia, não é fácil nem econômico comprar todos os alimentos orgânicos e sem pesticidas. A dieta macrobiótica é sem dúvida saudável, mas não é das mais fáceis.

---------------------------

dicas extremas para emagrecer rapidamente.

dicas extremas para emagrecer rapidamente
A maioria das mulheres sonha em emagrecer rapidamente e já aderiu a alguma medida extrema para emagrecer: um tratamento de última tecnologia, uma dieta à base de líquidos, um exercício capaz de derreter as gordurinhas. Em situações extremas, essas e outras estratégias podem ser usadas par a mudar o corpo quase da noite par a o dia. A maioria delas promete uma perda de até 3 quilos em duas semanas, mas precisa ser descontinuada depois desse período, para que não haja nenhum prejuízo à saúde. Então, ao passar o dia "D", será preciso voltar à única fórmula capaz de garantir a perda de peso definitiva: dieta balanceada + exercícios. Estamos combinadas?

------------------------------