Home Emagrecimento Emagrecer? Perder Peso Dietas Receita Dieta
------------------------

remedio para perde peso.

Novo remédio para emagrecer reduz 11% do peso em um mês
medicamento diminuiu gordura corporal e controla o apetite
Considerada epidemia mundial, a obesidade já afeta um bilhão e meio de pessoas no mundo. Ainda em fase experimental, um novo remédio parece ser a grande promessa para banir o excesso de peso. Em estudos realizados por pesquisadores do Centro de Câncer MD Anderson, da Universidade do Texas, o medicamento Adipotide reduziu 11% do peso de macacos em apenas um mês.
Obesidade aumenta o risco de diabetes, hipertensão e problemas cardíacos. Saiba mais

O Adipotide ataca o suprimento de sangue das células de gordura, conhecidas como tecido adiposo branco, que tendem a se acumular sob a pele e em torno da barriga.

Medicamento age no corpo e não no cérebro
De acordo com declarações dos pesquisadores para a revista científica Science Translational Medicine, após injeções diárias de Adipotide, os macacos com excesso de peso apresentaram redução de 39% da gordura corporal total, o que representou queda de 11% no peso corporal. Os especialistas também relataram, após 4 semanas, o tamanho da barriga reduziu 27%.

A grande diferença do Adipotide para as outras drogas que promovem a perda de peso parece ser o fato de não agir diretamente no cérebro. Em forma de injeção, o medicamento tem ação no corpo e, por esse motivo, os pesquisadores acreditam que o novo remédio seja mais seguro do que aqueles comercializados até hoje.

Adipotide diminui resistência à insulina e controla o apetite
Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda de três inibidores de apetite no Brasil e ainda apertou o cerco em torno da prescrição da Sibutramina. O problema dos medicamentos vetados pelo órgão é que sua ação sobre o cérebro apresenta reações adversas graves.

Segundo Dirceu Barbano, diretor-presidente da Anvisa, "os efeitos colaterais dos inibidores de apetite suspensos pela Anvisa não matam, mas podem causar dependência, depressão, complicações cardíacas e quadros psiquiátricos graves". O Adipotide apresentou efeitos nocivos sobre os rins, mas os pesquisadores acreditam que a redução das doses possa resolver o problema.
Sibutramina: conheça o medicamento para emagrecer mais receitado pelos médicos

Os especialistas verificaram que o novo remédio diminuiu a resistência dos animais à insulina, sugerindo uma relação positiva para o tratamento do diabetes tipo 2. De acordo com a endocrinologista Rosane Kupfer, membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Endocrinologia, "o diabetes tipo 2 está associado ao ganho de peso. Estima-se que 90% dos portadores da doença sejam obesos". O Adipotide também controlou o apetite dos macacos pesquisados.
------------------------

Tudo sobre a nova droga que faz perder peso.

Tudo sobre a nova droga que faz perder peso
Entrevistamos alguns dos mais conceituados endocrinologistas do Brasil para saber o que eles pensam sobre o medicamento que está dando o que falar
Fórmula mágica?

A notícia de que um novo medicamento chegou para derrotar a balança está provocando uma corrida aos consultórios de endocrinologistas. Pudera. A estreia no mercado brasileiro da liraglutida - esse é o nome do princípio ativo do Victoza - veio acompanhada daquelas informações que soam como música aos ouvidos de quem quer mandar a gordura para o espaço: dá para perder até 12 quilos em cinco meses sem passar fome. Acontece que esse remédio injetável, fabricado pelo Laboratório Novo Nordisk, tem a finalidade de tratar e controlar o diabetes tipo 2, o que suscita questionamentos sobre a segurança de usá-lo para derrotar a balança. Nossas leitoras, antenadas em notícias sobre emagrecimento saudável, imediatamente começaram a se manifestar por meio do Facebook. Algumas dúvidas: "Não é muito cedo para saber se o remédio é seguro?"; "Emagrecer com remédio não faz engordar tudo de novo?"; "Acho que faltam estudos. Afinal, o remédio é para diabéticos". Para pôr essa história em pratos limpos, ouvimos quatro dos principais experts em emagrecimento: Alfredo Halpern e Geraldo Medeiros professores de endocrinologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Rosana Radominski, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (ABESO) e Walmir Coutinho, médico do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia e professor da Pontifícia Universidade Católica, ambos no Rio de Janeiro. Tire todas as suas dúvidas!!
-------------------------

Por que emagrece.

Por que emagrece

A liraglutida é um remédio biológico - classe de medicamentos feitos de substâncias produzidas ou extraídas de um organismo vivo. Drogas biológicas são tidas como "inteligentes" porque simulam o papel de um componente do organismo humano. No caso da liraglutida, age de maneira semelhante ao hormônio GLP-1 produzido no intestino na presença de alimentos. Esse hormônio é um dos responsáveis por avisar ao cérebro que é hora de parar de comer. A diferença é que a droga circula no organismo em quantidade muito maior do que o hormônio natural, além de permanecer durante muito mais tempo. Isso retarda o esvaziamento do estômago, o que inibe a fome. A droga atua também no cérebro, mais precisamente no hipotálamo, região onde fica o centro da saciedade, prolongando a sensação de satisfação mesmo com pouca comida. A aplicação - diária - é feita pelo próprio paciente por meio de uma caneta de injeção subcutânea no abdômen, na coxa ou no braço. O preço médio da caixa com duas canetas é 400 reais, sem as agulhas, que devem ser compradas separadamente.

-------------------------

Alli: primeira medicação para perda de peso sem necessidade de prescrição médica é aprovada pelo FDA nos Estados Unidos.

Alli: primeira medicação para perda de peso sem necessidade de prescrição médica é aprovada pelo FDA nos Estados Unidos
O FDA (Food and Drug Administration) liberou o uso do Alli para adultos com sobrepeso e enfatizou que a medicação deve ser usada juntamente com uma dieta de baixa caloria, pobre em gordura e associada a uma prática regular de atividades físicas para que seja obtido um resultado satisfatório.

A embalagem do medicamento vem dizendo que, para cada 2268 gramas perdidos por dieta, o Alli pode ajudar uma pessoa a perder de 900 a 1360 gramas a mais.

Cerca de 28% dos usuários do Alli, nos estudos realizados, perderam 5 a 10 % de seu peso corporal por um período de 6 meses, comparados a 18% dos que receberam placebo.

O medicamento pode ser usado 3 vezes ao dia nas refeições. Ele age reduzindo em 25% a quantidade de gordura que o organismo absorve. A gordura não digerida é eliminada pelo intestino, o que pode causar efeitos adversos como gases ou eliminação de fezes com gordura. Uma dieta pobre em gordura reduz esses efeitos colaterais. As pessoas que vão utilizar esta medicação devem usar um polivitamínico ao deitar para evitar a perda de certos nutrientes, acrescenta o FDA.

Alli é o primeiro medicamento para perda de peso sem prescrição médica aprovado pelo FDA. O preço será de 2 dólares por dia e chega às lojas no verão americano. No Brasil, não há previsão de entrada da medicação ao mercado.

Pessoas que receberam transplante de órgão não devem usar esta medicação pelo risco de interações medicamentosas. Aqueles que usam anticoagulantes ou que estão sendo tratados para diabetes ou doenças da tireóide devem consultar um médico antes de usar o Alli.

O Xenical, da Roche, e o Meridia, do Laboratório Abbott, continuam sendo vendidos com prescrição médica e o laboratório Sanofi-Aventis espera a aprovação do Acomplia, outro medicamento para a perda de peso.


---------------------------

Termogênicos emagrecem?.

Termogênicos emagrecem? Nutricionistas respondem
exercícios físicos são fundamentais para aproveitar os benefícios
O que são termogênicos? Eles ajudam a emagrecer? De acordo com Tatiana Barão, nutricionista responsável pela área de pesquisa da Naturalis Nutrição & Farma, "termogênicos são alimentos capazes de aumentar o gasto energético ou seja, queimar mais calorias enquanto são digeridos".

Segundo Luciana Harfenist, personal diet e diretora da Funcionali Nutrição Funcional Personalizada, "as substâncias termogênicas contidas em certos alimentos tem a capacidade de aumentar a temperatura corporal , acelerando o metabolismo basal e aumentando a queima de gordura. A termogênese é um processo regulado pelo sistema nervoso e interferências positivas nesse sistema podem ajudar no controle no emagrecimento e controle da obesidade".

Exercícios são fundamentais para a perda de peso
Mas não basta comer alimentos termogênicos para emagrecer. De acordo com as nutricionistas, exercícios físicos regulares e alimentação equilibrada são essenciais para promover a perda de peso. Luciana explica que, para maior eficiência, os termogênicos devem ser ingeridos 30 minutos antes das atividades físicas. "Pessoas que treinam à noite não devem fazer uso de termogênicos para evitar alterações do sono", recomenda.

Em excesso, as substâncias termogênicas podem fazer mal. "Cardiopatas, hipertensos, crianças, gestantes e pessoas com queixas de gastrite, insônia ou alergias aos alimentos termogênicos não devem consumi-los", diz a nutricionista Tatiana. Ela lembra que indivíduos com disfunções na tireóide também não devem fazer uso desses alimentos, já que contam com ação sobre o metabolismo. A seguir, confira lista com alimentos termogênicos preparada pela nutricionista Luciana Harfenist:


------------------------------