Home Emagrecimento Emagrecer? Perder Peso Dietas Receita Dieta
------------------------

Dietas pra perder peso rapido.

Dietas para Emagrecer Rápido
Quem tem algum peso em excesso, tem como principal objetivo emagrecer de uma forma relativamente rápida. No entanto, se este é o seu objetivo, então a primeira coisa a fazer é evitar todo o tipo de dietas à base de medicamentos que prometem perder imensos quilos por semana, pois esse tipo de dietas só vão fazer com que tenha um emagrecimento ioiô, isto é, todos os quilos que perder vai acabar por adquiri-los rapidamente após deixar a medicação. Por isso, as dietas para emagrecer rápido devem ser feitas tendo em conta o tipo de alimentação e um plano estruturado de exercício físico adequado.

A primeira coisa a ter em conta é que para emagrecer rápido não há milagres, há sim grandes sacrifícios e muitas mudanças de hábitos que vão ser feitas ao longo do tempo. Assim além de garantir que o peso em excesso desaparece, garante ainda que tenha uma vida muito mais saudável. Os seus maiores sacrifícios serão com a sua própria alimentação, com alguns cuidados a ter e um plano de exercício físico adequado, não só ao seu corpo, como também ao estado da sua saúde, e claro, sempre acompanhado por uma ingestão de água adequada à prática de exercício. O seu corpo vai precisar de se manter hidratado, desde o seu interior até à sua pele, por isso é aconselhável a ingestão de pelo menos 2L de água por dia.

Deve trocar todo o tipo de sobremesas doces, por fruta. Assim, vai consumir açúcar (essencial para a sua saúde), pois a própria fruta possui sacarose, mas em muito menor quantidade. Isto faz com que consuma, pelo menos, 2 peças de fruta por dia, essencial para o bom funcionamento do seu organismo. Porém, é essencial que evite algumas frutas, como por exemplo: a manga, o abacate, a uva, entre outras, pois estas possuem imensas calorias na sua composição que vão dificultar toda a dieta que está a fazer para um emagrecimento rápido.

Deverá trocar as 3 principais refeições, por 6 refeições de menor dimensão ao longo do seu dia, assim vai ingerir menores quantidades mas manter-se ao mesmo tempo saciado. A sua alimentação deve ser à base de cozidos a vapor e de grelhados, pois são bastante mais saudáveis e evitam a ingestão de demasiados condimentos desnecessários. Sempre que possível, deve fazer refeições de carnes brancas, mas apenas 3 vezes por semana e sempre ao almoço e acompanhada por salada, as restantes refeições devem ser peixe (também cozido a vapor ou grelhado) e de sopas pouco condimentadas.

Aliando a tudo isto, é imprescindível que faça um plano de exercício físico para que toda a gordura em excesso no corpo seja retirada através da tonificação de todo o seu corpo. Deve começar com exercícios de menor esforço, e aumentar o mesmo consoante o seu organismo reaja. Em caso de dúvidas, se possível, deve contactar com um profissional da área e pedir algum acompanhamento durante uns dias para perceber quais os melhores exercícios a fazer para eliminar as gorduras localizadas que tanto afetam o seu corpo.
------------------------

Dieta sem segredo.

Dieta sem segredo
Tem a dieta de Beverly Hills: só fruta por 10 dias e a silhueta da Victoria Beckham garantida. E a do tipo sanguíneo: carne liberada para quem tem tipo O, o suposto sangue dos caçadores ancestrais. Tem a do Dr. Atkins: controla carboidratos, libera proteínas e gorduras. Tem também da sopa, da lua, do arroz, do alfabeto, das cores. Sem falar na renovação constante de verdades científicas que nunca resistem à avaliação seguinte - não eram verdade, muito menos científicas. Evitar carboidratos à noite? Tanto faz. Dieta das proteínas? Bobagem. Quer emagrecer? Pergunte-se como. Achar sua resposta (e segui-la) é o mais importante.

Na verdade, não há segredo para emagrecer. E também não há milagre: não vamos entregar uma fórmula de como secar em 5 semanas. Mas não vamos dizer que tudo é relativo: dá, sim, para saber como controlar o peso.

Mito 1 - "A base da dieta faz a diferença"
Na verdade, tanto faz se a dieta tem base de carboidratos, gorduras ou proteínas: o maior estudo sobre o assunto concluiu que todas se equivalem no emagrecimento a curto prazo e na recuperação do peso a longo prazo. Para a balança, o que interessa é quantas calorias o alimento tem.
Mito 2 - "Mulher engorda mais fácil que homem"
Em média, sim. Mas isso não tem nada a ver com elas serem mulheres. Acontece que homens, por terem naturalmente um volume maior de ossos e músculos, tem o metabolismo mais acelerado. Ou seja: entre uma mulher musculosa e um homem flácido, quem engorda mais fácil é ele.
Mito 3 - "O estômago cresce com a barriga"
Só em obesos que comem quantidades colossais. Logo, é mito que para emagrecer é preciso comer menos até o estômago diminuir e "pedir" menos comida. O que engorda a maioria é beliscar itens de alta concentração energética e ir acumulando calorias extras.
Mito 4 - "Tomar suco natural ajuda no regime"
Não ajuda e pode atrapalhar. O problema dos líquidos que não sejam água (refrigerante, suco, cerveja etc.) é que suas calorias não são devidamente computadas pelo seu corpo. "Nosso organismo não tem a mesma capacidade de identificação de saciedade com líquidos e sólidos", diz Patrícia Jaime. Compare um suco de maçã e uma maçã, por exemplo. A maçã tem fibras (o que manda sinais de saciedade) e você a mastiga (o que manda sinais de saciedade também). No suco, as fibras foram perdidas, ao extrair o sumo da polpa você tem um concentrado de açúcar de várias maçãs (é mais calórico). Apesar das calorias, a bebida ainda vai deixar bastante espaço para a comida.
Mito 5 - "Carboidrato à noite engorda"
Não há fundamento científico que mostre isso. A crença seria de que comendo carboidrato à noite a pessoa armazenaria energia mais facilmente porque vai repousar e o metabolismo cai. Na verdade, o que vale é o balanço das calorias ingeridas e queimadas nas 24 horas anteriores.
Mito 6 - "Dormir pouco dá fome"
Em tese, a falta de sono diminuiria o nível do hormônio da saciedade (leptina) e aumentaria o da fome (grelina). Mas ainda há muito que se estudar, já que uma das consequências de estar acima do peso é ter sono ruim. Assim, não é dormir pouco que abre o apetite, mas o contrário. O importante é dormir o suficiente para acordar bem disposto.
Mito 7 - "Comer de 3 em 3 horas acelera o metabolismo"
Comer de 3 em 3 horas ajuda a controlar a fome e a comer menos quantidade nas refeições. Mas daí a acelerar o metabolismo vai uma distância.
Mito 8 - "Remédio pra emagrecer sempre funciona"
Além de efeitos colaterais, como irritação, insônia, taquicardia, quando você para de tomar o remédio, o apetite vai voltar e, se você continuar comendo do jeito que comia antes do regime, vai engordar de novo porque não vai mais ter a ajuda do remedinho. Outro caso são os remédios irresponsavelmente prescritos que causam disfunções na tireoide, glândula que regula o metabolismo. Remédio, só em último caso e sempre com orientação médica.
-------------------------

A dieta no seu corpo.

A dieta no seu corpo

O primeiro inimigo é seu próprio corpo, que age contra a dieta logo que os resultados aparecem. Quanto mais radical ela for, mais ele contra-ataca. A lógica: seu organismo não sabe a diferença entre a decisão de comer menos e fome involuntária. Para ele, se há uma constante perda de peso, sua vida está em risco. E trata de guardar energia.
Como você funciona
O que acontece se você passar a comer muito pouco? Vai gastar as calorias do alimento recém-consumido e, como não será suficiente para sobreviver, vai começar a gastar as reservas. Isso é emagrecer. O corpo usa primeiro o glicogênio, depois aproveita a gordura, e, se você continuar de boca fechada, pede um reforço extra para as proteínas, ou seja, seus músculos. Durante a dieta, como o corpo recebe menos energia a cada dia, a reação não tarda. "É a reprogramação metabólica, a estratégia do organismo para sobreviver numa guerra", diz Patrícia Jaime, professora do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP. A lipase, enzima que regula o armazenamento de gordura, fica superativada. Também diminui o hormônio que nos deixa saciados (leptina) e aumenta o que nos dá fome (grelina). Lembre-se: seu corpo faz tudo para que você coma. Moral da história: num regime bravo, a fome pisa no acelerador, a saciedade no freio e, mesmo com a restrição de calorias do início da dieta, o ritmo de emagrecimento estagna. Esse é o "platô da dieta", o ponto em que muita gente se frustra e volta à comilança, que vira gordura mais rápido do que antes (lipase superativada, lembra?). É o efeito sanfona, o sistema que faz você engordar mais a cada dieta frustrada. Logo, a maneira mais segura de emagrecer é devagar, reduzindo aos poucos a ingestão de calorias. Isso previne reações contrárias do organismo e dá tempo para adotar mudanças duradouras no estilo de vida. Como? Aprendendo a comer menos e melhor, e tendo uma vida mais ativa. Como se viu no estudo de Harvard, a receita é simples. O que não significa que seja fácil.

-------------------------

A dieta na sua mente.

A dieta na sua mente
Se a gente fosse máquina, era só programar: bastava ingerir as calorias necessárias às atividades do corpo e o peso seria mantido. Acontece que comer não é uma ingestão automática de nutrientes. Envolve fome, oportunidade, prazer, socialização, emoções e, claro, nossos hábitos.

Uma dieta que nos afaste totalmente da nossa rotina alimentar, por exemplo, tem pouca chance de ser mantida. "Sempre que você tem um cardápio com alimentos que não fazem parte do seu dia- a-dia, é claro que você vai largar a dieta", diz o endocrinologista Márcio Mancini, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. "O que funciona é a reeducação alimentar. Aprender a comer de um jeito que você seja capaz de manter sempre", diz Mancini.

Veja bem: ninguém disse que, porque a reeducação alimentar pode dar resultados bons a longo prazo, ela vai funcionar. Tudo vai depender da sua disposição para mudar hábitos, do meio social em que vive, de um acompanhamento médico e nutricional individualizado e de fatores emocionais.


---------------------------

A dieta no seu mundo.

A dieta no seu mundo
Você pode não prestar atenção no que come, mas há um setor inteiro da economia que analiza e dialoga com nosso constante desejo e eterna dificuldade de emagrecer. Não há estimativas do tamanho do mercado de dietas no Brasil, mas nos EUA, onde 67% da população está acima do peso, ele movimenta US$ 58 bilhões por ano - US$ 14 bilhões a mais que o mercado de calçados e só US$ 10 bilhões a menos que o gasto do governo americano com saúde.

O número leva em conta o faturamento de setores variados, como mercado editorial, refeições prontas e shakes, todo tipo de comidas e bebidas diet, light e zero, adoçantes, vídeos de fitness, sites de consultoria nutricional (afiliados ou não a uma dieta específica), remédios para emagrecer, spas.

Um passeio por qualquer livraria revela os milagres prometidos para todos os gostos, propósitos e crenças. Alguns títulos no Brasil são: Viva Melhor com a Dieta do Tipo Sanguíneo (seu tipo de sangue determina o que você vai comer), Emagreça Naturalmente com a Dieta da Lua (quando a lua muda, você só ingere líquidos por 24 horas), A Dieta do Abdome (programa de 6 semanas, foca em 11 alimentos que magicamente tiram gordura só da barriga), A Dieta da Zona Ayurvédica (baseada em princípios da medicina milenar indiana), A Dieta do Mel (duas colheres de mel antes de dormir queimam gordura). Se você prestou atenção até aqui, já sabe que é picaretagem.

A variedade de títulos vem no embalo dos best sellers do gênero. Os 7 livros do cardiologista americano Robert Atkins emplacaram, desde 1972, 30 milhões de cópias. A edição revisada do primeiro livro encabeçou a lista de mais vendidos do New York Times por 300 semanas seguidas entre 1999 e 2004. Já a série da Dieta de South Beach, lançada em 2003, vendeu 22 milhões de cópias. Uma piadinha do meio diz que a indústria da dieta anda em muito melhor forma que seus consumidores.

O fato é que nós também fazemos nossa parte nesse jogo de me-engana-que-eu-gosto. Trocamos o açúcar da caipirinha por adoçante para beber sem culpa um copão de pinga supercalórica. Pagamos a academia para não ir, mas sentir que já demos o primeiro passo. Seguimos as dietas das revistas porque preferimos comprar motivação a encarar um esforço consciente e de longo prazo. "É mais fácil entrar numa dieta com a esperança de que ela fará você se sentir melhor do que tentar entender a sua ansiedade", alerta Carol Munter.

Lógica aparente
Mas o que explica o sucesso da literatura de autoajuda nutricional? Fora alguns absurdos escancarados, o fato é que as dietas de sucesso vendem ideias que aparentemente fazem sentido. Aparentemente. A indústria alimentícia é outro ator central desse jogo. Para a OMS, há evidências de que o aumento da obesidade é influenciado pelo marketing agressivo das cadeias de fast food - lembra-se do ambiente obesogênico, contribuindo sutilmente para engordar?

Outros vilões são os alimentos de alta densidade energética. Normalmente industrializados, eles concentram muitas calorias em pouco volume e confundem nosso corpo, que vai engordando sem nos avisar para parar. Quem já mandou um pacote de biscoitos recheados para dentro sabe bem.


------------------------------