------------------------

remédio emagrecer

Viagra novo remédio para emagrecer

Novas evidências sugerem que o Viagra, um medicamento para disfunção erétil, pode ter outro uso: ajudar a queimar a gordura em excesso.

A droga, genericamente conhecida como sildenafil, ajudou a converter indesejáveis células brancas de gordura em células bege de gordura que queimam energia em ratos de laboratório, de acordo com o que pesquisadores da Universidade de Bonn, na Alemanha, reportaram no periódico The Journal of the Federation of American Societies for Experimental Biology.

Já se sabia que os ratos que recebiam Viagra tornavam-se menos propensos à obesidade quando alimentados com uma dieta rica em gordura. O que não estava claro era a razão disso.

O Dr. Alexander Pfeifer, diretor do Instituto de Farmacologia e Toxicologia da Universidade, disse que já tinha algumas pistas: o Viagra funciona impedindo a degradação do mensageiro intercelular cGMP. Há muito tempo que Pfeifer vem testando os efeitos do cGMP em células de gordura.

Assim, ele deu o medicamento aos ratos por sete dias e monitorou suas células de gordura. Como se viu, as incômodas células brancas de gordura, que estão associadas com problemas como os temidos pneus sobressalentes, estavam sendo convertidas em um tipo benéfico de células de gordura a uma taxa maior do que a habitual. Pfeifer considerou os resultados "muito promissores".

Ainda assim, ele adverte sobre tomar o medicamento apenas para fins de emagrecimento. "A ideia de ingerir uma pílula e a obesidade ir embora é um sonho, mas não é fácil de se conseguir", disse ele. "O que estamos fazendo é uma pesquisa básica com ratos. Esta pílula é aprovada pela Administração de Alimentos e Medicamentos para um propósito particular."

 

Fonte: ultimosegundoig

------------------------

Remédio para tireoide usado para emagrecer

Remédio para tireoide usado para emagrecer
O Brasil não perde o título de campeão de consumo de remédios para emagrecer. Em outubro de 2011, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda dos derivados de anfetamina.
A decisão retirou definitivamente das farmácias os remédios femproporex, anfepramona e mazindol, usados no tratamento da obesidade. Com a proibição dos derivados de anfetamina do mercado, entraram em cena outros medicamentos, como o topiramato, a bupropiona e a liraglutida. Nenhum deles aprovado para o tratamento da obesidade
A indicação oficial do topiramato, por exemplo, é para casos de enxaqueca e epilepsia.
Pegando carona nesta ‘onda’, os brasileiros agora estão tomando hormônios da tireoide mesmo sem apresentar problema na glândula responsável por várias funções do corpo, desde a temperatura interna até a produção de glóbulos vermelhos.
O Puran T4 (levotiroxina sódica), recomendado a pacientes com hipotireoidismo (quando a tireoide tem produção insuficiente de hormônio), e que contém a forma sintética do hormônio T4, aparece em segundo lugar na lista de remédios mais vendidos no Brasil no ano passado.
No ranking, o medicamento divide espaço com produtos de amplo uso, como anticoncepcionais e um descongestionante nasal, informa a IMS Health, consultora especializada na área de saúde.
Inicialmente, o medicamento pode trazer resultados imediatos para o emagrecimento, mas perde este efeito, em médio prazo, trazendo problemas para a saúde de quem faz seu consumo sem prescrição médica, como taquicardia, tremores, perda de cabelo, entre outros problemas.


-------------------------

Porque a fluoxetina emagrece

 

Porque a fluoxetina emagrece
Uma boa ajuda para emagrecer como fluoxetina é um medicamento antidepressivo que age na receptação da serotonina, neurotransmissor responsável pelo humor, e a sensação de bem-estar que você tem diante de situações difíceis. Por isso, a fluoxetina é benéfica por ajudar em áreas do humor, o que é muito importante para vencer dificuldades como a depressão no processo de emagrecimento.

A fluoxetina é um remédio para emagrecer que potencializa ganhos como o controle da ansiedade, que certamente é um dos grandes males na hora de começar um processo adequado de emagrecimento. Além disso, a fluoxetina emagrece por vencer outros empecilhos como a depressão e má qualidade do sono. Portanto, fica claro que a fluoxetina emagrece não por agir em áreas como o ganho de peso, o excesso de gordura por alimentos poucos saudáveis. A fluoxetina emagrecer por eliminar fatores internos que auxiliam o ganho de gordura.
Como emagrecer com a fluoxetina
Utilizando de fluoxetina você pode chegar a manter uma qualidade maior no processo de emagrecimento no momento que modifique as dificuldades que impedem sua perda de peso. Acontece que a partir do momento que começar a utilizá-la seu corpo mantem uma boa batalha contra os fatores emocionais que impedem que emagreça. Passando assim a controlar a perda de nutrientes e eliminando o excesso de gordura de forma indireta.

Os benefícios são muitos com a fluoxetina, claro que com muitas dificuldades também. Com esses remédios para emagrecer você vence obstáculos como a ansiedade, a depressão e a insônia. Desta maneira, os ganhos são muitos positivos e com o conselho de um médico pode valer a pena utilizar.
Vencer esses empecilhos do processo de emagrecimento eficaz é muito positivo. Uma doença como a depressão é muito ruim para seu desenvolvimento. É ela um dos grandes responsáveis pelo excesso de peso, quando uma pessoa começa a passar por sintomas da depressão geralmente passa a se alimentar mal e começa a aumentar o peso. Por isso a fluoxetina emagrece, por impedir males como a depressão.
Efeitos da fluoxetina
Evidentemente a fluoxetina também tem efeitos negativos como causar a xerostomia ou mesmo o excesso de prolactina. Por isso, pesquise muito antes de consumir esse medicamento, pois os riscos também são muitos e é muito positivo que não consuma sem o conselho de um especialista, que oriente se, seu peso e idade, estão de acordo com os requisitos para tomar a fluoxetina.
Além da fluoxetina existem outros meios de manter a saúde e perder peso. Usar de suplementos alimentares para emagrecer pode ser uma ótima escolha. Esses produtos combatem o excesso de gordura de uma forma positiva, muitas vezes recomendados por nutricionistas.
A fluoxetina emagrece de verdade, mas sua ação é indireta e não combate seguramente à gordura corporal, por se tratar de um remédio para perder peso. Você pode utilizar da fluoxetina, mas tenha em consideração que deve antes ir até um nutricionista de sua região para que ele recomende se você deve ou não utilizar desse remédio.


-------------------------

O REMÉDIO PARA EMAGRECER ESTÁ DENTRO DE NÓS

O REMÉDIO PARA EMAGRECER ESTÁ DENTRO DE NÓS

Você é uma daquelas pessoas que está sempre procurando o remédio perfeito para perder peso. Você quer perder peso. Você quer eliminar a gordura em excesso na barriga, nos quadris, nas nádegas, nas coxas e braços. Você quer ter uma boa aparência e sentir-se bem. Quem não quer, certo? Mas há realmente algum remédio mágico para perder peso? Existe realmente um plano infalível para você perder peso e estar em forma? Veja este artigo sobre perda de peso

Será verdadeiro que é possível perder peso e manter a gordura longe!

Há uma fórmula, um remédio perfeito para emagrecer e você pode consegui-lo agora. Este remédio envolve três coisas: dieta, exercício e suplementos. Esses fatores serão discutidos em detalhe de modo a que você possa entender como perder peso e mantê-lo para o seu bem-estar.

Fator número um: dieta

As pessoas estão acostumadas a comer três refeições por dia. Isto não é adequado para que se consiga perder peso. Atingir o peso e o corpo ideal significa que você tem que comer os alimentos certos, na quantidade certa e na hora certa. São três características importantes! O remédio para emagrecer está no comer corretamente, o que vai ter um efeito muito grande nos seus objetivos de perda de peso.

A partir de agora, você tem que comer 6 vezes por dia, mas em pequenas porções. Existe um limite mínimo e máximo para todos. Você pode comer até ao máximo, mas nunca deve ir além ou abaixo do mínimo. Aqui está a lista do que pode comer em cada grupo de alimentos.

Os cereais integrais (pães, arroz, massas e derivados) 5 a 11 porções por dia. Uma dose é igual a metade de um copo de arroz integral ou um pão de trigo integral do tamanho de um CD. Uma obrigação importante para a sua dieta.

Carne magra (sem a pele ou gordura). Diga não à carne de porco. Coma 2 a 3 porções por dia, uma porção do tamanho da caixa de fósforos.

Frutas e Vegetais, 5-6 porções por dia. Sirva-se em proporções favoráveis do tamanho de uma bola de beisebol.

Óleo/ Açúcar / sal – o mínimo possível

Fator número 2 – Exercício

Uma vez que você é apenas um novato no programa, o melhor é fazer pelo menos 15 minutos de cardio por dia (com uma pausa a cada 2 dias), e pelo menos 2 a 3 exercícios de treinamento de força nos seus abdominais, ombros, peito, costas, pernas e braços. Para obter o melhor resultado visite um centro de fitness.

Fator número 3 – Suplementos

Max Burn é o melhor remédio para emagrecer que você pode tomar para perder o excesso de peso. É um produto incrível e é seguro especialmente para pessoas que querem ver-se livres de gordura corporal. Tome-o de acordo com as recomendações de dosagem e você ficará surpreso em relação à rapidez com que consegue perder esse peso em excesso. Este é um passo muito importante na procura de um remédio para emagrecer. De momento temos algumas amostras grátis disponíveis por isso não deixe de dar uma olhadela antes que eles estes se esgotem.

Então, agora que você sabe que os três fatores que influência a perda de peso, o que é que você vai fazer? Vai comer melhor? Vai fazer exercício e tomar os suplementos apropriados para emagrecer? Tem de o fazer! Este é o remédio para emagrecer deve ser dado a conhecer a todos os que querem perder peso e mantê-lo para sempre!


---------------------------

Remédios para emagrecer: saiba mais e proteja-se

Remédios para emagrecer: saiba mais e proteja-se

Os medicamentos atuam de formas diversas no organismo, mas o fato é que aceleram mesmo a perda de peso. Por outro lado, o uso inadequado pode conduzir à dependência e a outros efeitos colaterais importantes. Saiba mais e proteja-se!

 

1-Por que os remédios à base de anfetamina não podem mais ser usados por quem quer emagrecer?
A proibição da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que atingiu os medicamentos derivados anfetamínicos, para usar o termo mais correto, baseou-se no fato de que essas drogas poderiam provocar dependência. A medida, no entanto, é bastante controversa. “É claro que o uso desses medicamentos visando o aspecto meramente estético é absolutamente contraindicado, uma vez que, como todas as drogas que atuam no sistema nervoso central, estas também podem causar dependência psicológica, como os sedativos usados para acalmar ou dormir”, afirma o endocrinologista Alberto Serfaty (RJ).
Grau de obesidade: ainda segundo o especialista, os anorexígenos retirados do mercado há pouco tempo, como o femproporex, a dietilpropiona e o mazindol, têm indicações indiscutíveis em pacientes com elevado grau de obesidade (IMC acima de 30), refratários a mudanças de hábitos de vida como dieta, exercícios e terapia cognitiva. Em pacientes que tenham duas doenças, como diabetes tipo 2, hipertensão arterial, dislipidemia, doenças cardíacas, entre outras, os remédios também estariam bem indicados.
Lucro final: “Nos casos citados acima, os benefícios da droga compensam os possíveis riscos. Sabemos que todo medicamento é passível de acarretar efeitos colaterais, mas a medicina é um balanço entre custo e benefício. Se o custo for 1 e o benefício for 10 , o indivíduo lucra 9 , vale a pena. Porém, se for ao contrário, se o lucro for 1 e o benefício for zero, aí já custa caro e a medida não é vantajosa para o paciente. É preciso analisar caso a caso”, defende Serfaty.

 

2- Quais os riscos de tomar remédios que não foram aprovados para ajudar no processo de emagrecimento?
Como essas drogas não foram analisadas por um órgão regulador para esse fim, não é possível dar nenhuma garantia quando à eficácia delas ou mesmo à possibilidade de provocarem os mais variados efeitos colaterais. Assim, quem usa, corre o risco de jogar dinheiro fora, ou pior, de passar a sofrer de outras complicações, pelo uso inadequado de uma substância que, como todas as que estão no mercado, pode provocar efeitos benéficos ou maléficos.
Uso supervisionado: “Todo remédio precisa de supervisão e acompanhamento para o uso. Com os remédios que auxiliam no emagrecimento não é diferente”, reforça a endocrinologista Claudia Cozer, coordenadora do Núcleo da Obesidade e Transtorno Alimentar do Hospital Sírio Libanês e diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

 

3- Quais são os efeitos colaterais mais comuns dos remédios para emagrecer?
A questão da dependência existe, mas ainda não é consenso na classe médica. “A dependência que esses remédios causam é mais psicológica do que física”, defende Serfaty
“Não é a dependência, mas os bons resultados do tratamento que levam à manutenção dele. Esses remédios realmente promovem o emagrecimento e a tendência é o ganho de peso com a suspensão”, argumenta o endocrinologista Marcio Mancini, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Mudanças de humor: controvérsias à parte, outros sintomas colaterais são comuns no uso desses medicamentos. “Os mais encontrados são insônia, palpitação e irritação”, afirma Claudia.

 

4- Como age um medicamento para emagrecer?
Depende do tipo de medicamento. A sibutramina, por exemplo, tem duplo efeito. “Ela é derivada dos anfetamínicos e atua no sistema nervoso central, estimulando um neurotransmissor chamado dopamina, cuja baixa, além de fome, causa cansaço e depressão. Além disso, trata-se de uma droga que ajuda a controlar a saciedade, já que estimula outro neurotransmissor, a serotonina, cuja baixa dá compulsão, aumenta a vontade de comer doces,piora os sintomas da TPM e da depressão”, explica Serfaty.
Etapa de testes: já o orlistat diminui a absorção de gordura no intestino. “E ainda estão em fase de testes alguns medicamentos que aumentam a queima de gordura”, completa Mancini.

 

5- Por que quem toma remédios emagrece de forma mais rápida?
Quem conta com um medicamento recebe um estímulo extra. Ainda assim, precisará reeducar seus hábitos alimentares para alcançar um resultado efetivo.
Emoções sob controle: enquanto se está sob o efeito da droga, é comum sentir um pouco menos de fome, ansiedade ou tristeza, que são grandes motivações que temos para comer além da conta. Em outras palavras, os remédios mais usados para emagrecer atuam tanto na fome física quanto na fome dita “emocional”.


------------------------------