------------------------

obesidade e emagrecimento

A prevenção do ganho excessivo de peso começa na conscientização da importância, no dia a dia, da prática de atividade física e da adoção de bons hábitos alimentares. Ou seja, o sedentarismo e a alimentação inadequada devem ser evitados em todas as faixas etárias. O cerne do tratamento atual da obesidade baseia-se em terapias comportamentais dirigidas no sentido de modificação das atividades e hábitos relacionados à alimentação, exercícios para aumentar o gasto calórico e orientações nutricionais para diminuir o consumo de calorias e, particularmente, de gordura. Os tratamentos com agentes farmacológicos são considerados um adjunto a essa terapêutica básica.
O tratamento da obesidade constitui hoje um dos grandes desafios na prática médica. A alta prevalência de comorbidades associadas ao excesso de peso, assim como um grande comprometimento funcional e psicológico, torna a obesidade um problema não só do médico, mas também de diversos profissionais da área de saúde (nutricionistas, fisioterapeutas, etc). É impossível pensar em um tratamento efetivo para obesidade sem incluir uma mudança radical no padrão alimentar e na prática de atividade física. E para essas mudanças, na maioria das vezes, apenas a intervenção médica não é suficiente. É cada vez maior a conscientização de que o tratamento da obesidade é multidisciplinar e que não existe fórmula mágica ou um medicamento capaz de fornecer resultados satisfatórios e a longo prazo sem uma mudança completa dos hábitos do paciente.

Todos os pacientes que procuram tratamento para obesidade devem, obrigatoriamente, receber algum tipo de orientação nutricional e de prática de atividade física. O tratamento farmacológoco pode ser utilizado nos casos em que as medidas gerais não são suficientes, mas ele só se justifica em conjunção com orientações dietéticas e mudanças do estilo de vida. Os agentes farmacológicos somente ajudam a aumentar a adesão dos pacientes às mudanças nutricionais e comportamentais. Vale aqui reforçar que as medicações antiobesidade devem ser utilizadas sob supervisão médica contínua, sendo o tratamento e a escolha medicamentosa individualizados para cada paciente.

O tratamento nutricional constitui a base do tratamento do paciente obeso, mas se torna ineficaz se não houver uma completa mudança do padrão alimentar por parte do paciente. Embora existam diversos tipos diferentes de dietas e/ou planos alimentares, todos têm como objetivo comum uma perda de peso sustentada, saudável e que promova benefícios adicionais à saúde do paciente.

É considerada uma dieta adequada a que inclui, diariamente, frutas, legumes e verduras, carnes magras, água e sucos de frutas (no lugar de refrigerantes), poucas frituras, consumo moderado de doces e alimentos com altos teores de açúcar, e que evite alimentos gordurosos. Os carboidratos (massas, pães, arroz etc) e o sal também devem ser consumidos de maneira equilibrada.

A prática de atividade física está relacionada a um maior gasto energético, a uma melhora significativa de diversos parâmetros metabólicos (melhora no metabolismo da glicose, perfil lipídico, diminuição da pressão arterial, entre outros) e a uma melhoria na qualidade de vida. É importante observar que a quantidade de atividade física necessária para trazer os benefícios metabólicos para o paciente pode não ser suficiente para promover a perda de peso. A prescrição de atividade física deve ser feita de maneira progressiva, observando-se a tolerância do paciente à atividade em questão e a presença de efeitos indesejáveis.

Além do citado, incluem-se no tratamento do paciente obeso, medidas psicológicas e cirúrgicas. Embora seja praticamente impossível o tratamento efetivo de um paciente obeso sem a combinação das intervenções citadas (dieta, atividade física e tratamentos psicológico e farmacológico), muitas vezes é difícil a utilização correta de todas elas. O paciente e o profissional evolvidos devem estar conscientes de que o objetivo primário – a perda de peso saudável e sustentável- só poderá ser atingido com uma combinação, mesmo que parcial, das abordagens nutricionais, físicas, psicológicas e farmacológicas (esta quando possível e necessária). Apenas com esse tratamento multidisciplinar ele será capaz de obter sucesso em um dos maiores desafios da prática médica atualmente.

Drª Letícia Garcia Maurício Japiassú
Endocrinologista

Fonte: http://www.centromedicopastore.com.br/index.php/artigos/95-obesidade-e-emagrecimento

------------------------

Obesidade e emagrecer : emagrecer é possível !

Obesidade e emagrecer : emagrecer é possível !

Fazer opção por emagrecer não é apenas uma questão de estética. Muito mais que isso, é uma opção de vida. A obesidade (ou simplesmente EXCESSO DE PESO), pode definitivamente contribuir para que a pessoa tenha uma péssima qualidade de vida. O obeso - obesa é discriminado/a, a ponto de sentir-se excluído do meio social em que vive. Isso sem fazer menção à questão da saúde, que é tanto pior quanto maior seja o excesso de peso e o tempo em que a pessoa permanece gorda.

A situação é muito séria! As estatísticas apontam que cerca de 40% dos brasileiros têm excesso de peso. Justamente em uma época em que o culto ao corpo e os investimentos na beleza física têm alcançado grande destaque em todas as camadas socias, temos tantas pessoas por esse mundo a fora sofrendo com a obesidade e o excesso de peso.

A Organização Mundial de Saúde considera a obesidade, no momento, como uma das principais doenças de saúde pública. O obeso, como profissional, produz bem menos do que produziria se magro.

Ninguém é obrigado a aceitar esta situação. Existe tratamento para a obesidade; tratamento profissional, de qualidade, permitindo ao obeso emagrecer, recuperar sua auta-estima e alegria de viver.
Se voce necessita di emagrecer realmente, inicie imediatamente uma dieta emagrecedora apropriada. Não perca tempo !


-------------------------

A obesidade e o emagrecimento

 

A obesidade e o emagrecimento

A obesidade é hoje uma pandemia mundial alarmante, pois morre-se mais pessoas no mundo de doenças decorrentes do excesso de comida do que aquelas que passam fome. Entretanto, podemos tratar a obesidade eliminando o excesso de gorduras naturalmente. Assim, "é possível emagrecer fiando-se na fita métrica, não, porém na balança".
As alterações sofridas pela estrutura óssea e pelos tecidos orgânicos, inclusive os músculos, podem contrabalançar a perda da gordura. Quando o peso de uma pessoa excede do normal, pode bem ser devido a uma quantidade excessiva de materiais assimilados e depositados como gordura, e evidentemente, a uma vida sedentária.
Há diversos modos de saber se o peso está normal. No Vermont se diz o seguinte: " a medida da base do pescoço deve ser duas vezes a do pulso. A medida da cintura é o dobro da medida do pescoço". Se a medida da cintura for maior do que a do tórax ou se houver propensão para a papada, está na hora de eliminar o excesso de gordura.
O Coquetel do Rejuvenescimento do Dr. Jarvis, atua de maneira rápida no organismo, mudando a temperatura das gorduras adicionais e fazendo com que se queimem dentro do organismo, sendo eliminadas em seguida pela urina e fezes.

Uma disciplina alimentar é um dos mais eficientes ingredientes para a felicidade, pois ninguém pode fazer nada com o corpo doente.

Assim, se um homem tiver o abdômen saliente, voltará ao normal, tudo dependendo de sua disciplina, o que será respaldado pelo tratamento com Essências Florais para os padrões mentais. O processo envolve a possibilidade da eliminação da gordura, em vez do seu armazenamento e o conseqüente aumento de peso emagrecendo com saúde e sem aditivos químicos. Cumprido o processo, este tratamento contra a obesidade, que além de simples é muito eficaz, plenamente natural e saudável, adquirindo o peso ideal.

Informações Adicionais sobre o Coquetel de Rejuvenescimento

Há no coquetel mais de trinta elementos nutritivos fundamentais, mais de uma dúzia de sais minerais e enzimas essenciais e complexos multi-vitamínicos. Igualmente, encontra-se ferro, vitaminas B12, ácido fólico (bom no combate a anemia) e elementos antioxidantes, combatem os radicais livres que produzem a decrepitude do corpo. Possui qualidades anti-sépticas (mata os micróbios infecciosos) e antibióticas (contêm bactérias inimigas dos microorganismos deletérios).
É rico em sais de primeira importância para os processos bioquímicos do corpo; entre os quais o ácido málico , que entre outras funções, faz parte do chamado "ciclo de Krebs", que sintetiza um conjunto de reações bioquímicas responsáveis pela produção de energia no interior das células. Ele ajuda também na absorção dos nutrientes e, ao mesmo tempo, combate bactérias do aparelho digestivo; evita a obstipação (prisão de ventre habitual), apontada como a principal causa de muitas doenças, pois ajuda na eliminação de substâncias tóxicas, produto da má alimentação e poluição ambiental, que se alojam no intestino e fígado. Temos também a pectina que auxilia nos processos digestivos, reduzindo extraordinariamente o colesterol e outras gorduras densas.

É altamente diurético, ajuda na eliminação do excesso de líquidos. Possui qualidade antioxidante, antiinflamatória e antibiótica excelentes. O controla o equilíbrio do pH do sangue e da pele.
Tem propriedade muito parecida com a química do suco gástrico secretado pelo estômago, e por isso, capaz de matar bactérias nocivas à saúde, facilitando a digestão.
Cuide Bem de Você!


-------------------------

Obesidade, Epidemia Global. Ainda é possível gerir?

Obesidade, Epidemia Global. Ainda é possível gerir?

Que a obesidade tornou-se uma epidemia global, sem distinção de classe social, religião, gênero ou outras classificações que se possa estabelecer, isso já é de todos sabido. A pergunta é, diante do quadro atual, ainda é possível geri-la e aplicar medidas que reduzam os índices alarmantes que não param de crescer?
Esta, sem dúvida, é uma tarefa, no minimo, de complexidade intensa, que pesa sobre os governos, entidades privadas e organizações sociais, bem como, sobre cada indivíduo da sociedade como um todo, já que as consequência, também pesam sobre todos estes entes e prejudicam finanças e economias, gestão de serviços púbicos – por requerem cada vez mais gastos especializados, promovendo um inchaço no sistema de atendimento à saúde e influenciando na qualidade dos demais atendimentos desse mesmo sistema, dentre outras questões, pois a obesidade, desencadeia diversos processos negativos em toda a cadeia social das comunidades.
Preocupados com esse crescimento e com o avanço significativo do número de pessoas obesas em cadeia global, a OMS (Organização Mundial de Saúde) divulgou estudo sob o título, "Obesidade: prevenção e gestão da epidemia global" com o objetivo, justamente de despertar governos e entidades de saúde para a consciência da necessidade de se tomar medidas série no controle desta epidemia, buscando minimizar suas consequências.
O estudo está dividido em 5 partes sob os seguintes pontos e aspectos:
1. Análise da Definição e Classificação da Obesidade;
2. Análise das Consequências – para a saúde – do excesso de peso e obesidade em adultos e crianças, bem como dos benefícios e riscos da perda de peso. Também, análise sobre como os custos de sobrepeso e obesidade afetam as economias;
3. Análise dos Fatores que influenciam o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade: equilíbrio de energia, dieta e atividade física, influências ambientais e sociais, e suscetibilidade genética;
4. Apresentação de uma Análise de Fundamentos para que se elabore uma estratégia global no sentido de trabalhar a prevenção e o tratamento da obesidade através de serviços de saúde e políticas de saúde pública;
5. Conclusão e Recomendações sobre a Obesidade.
A partir da temática desse estudo, vamos abordar, nos próximos artigos, cada um dos partes acima elencadas, com vistas a promover a consciência individual dos nossos leitores, e assim, auxiliarmos no combate a esta doença epidêmica que afeta não somente a pessoa obesa, mas aqueles do seu ciclo de convivência, estendendo-se a uma cadeia de prejuízos financeiros, emocionais, psicológicos e até ambientais.


---------------------------

Obesidade e Emagrecimento

Obesidade e Emagrecimento
A obesidade afecta cada vez mais os portugueses e cada um de nós.

Para combater a obesidade surgem todos os dias soluções milagrosas nas quais se acaba por gastar muito dinheiro para se chegar ao fim com poucos ou nenhuns resultados.

Mais, muitas das vezes passados poucos meses reparamos que temos mais 2 a 5 quilos do que tínhamos antes de termos seguido a tal solução milagrosa.

Resumindo, se de facto fosse uma boa solução já muita gente a teria seguido e a obesidade estaria em extinção e não em crescimento.

Se as coisas não funcionam é porque existe algo que não está bem quer com a pessoa quer com aquilo que é suposto tratar da obesidade. Houve algo que falhou ou há algo que está a falhar.

Hoje em dia costuma optar-se pela lipo-aspiração, lipo-escultura, aneis no estômago, corte do estômago e muitas outras soluções que aparentemente vão resolver o problema.

A obesidade pode ficar resolvido mas as causas, essas continuam em discussão e sem um consenso generalizado.

A pergunta que nunca ninguém faz e parece não se preocupar em fazer é; Porquê o corpo fica obeso?

Se o soubessem, aí sim, poder-se-ia trabalhar e encontrar uma solução.

A principal razão das soluções milagrosas (pílulas, chás, cremes, dietas, ginásio, etc.) não funcionarem ou a razão de passado algum tempo a pessoa voltar ao peso que tinha antes (e ainda acabar com mais algum) deve-se a não se resolver as causas que levam o corpo a ficar com obesidade e com excesso de peso.

Uma vez que não existe uma solução milagrosa, isso significa que ainda não se sabe qual a verdadeira razão pela qual o corpo fica obeso.

Tanto quanto posso saber pela experiência que tenho, existem muitos factores que levam o corpo a ficar obeso.

O problema é conseguir determinar qual ou quais os factores que levam o corpo a ficar obeso.

Algumas situações que levam o corpo a ficar obeso são:

Dietas, ou melhor más dietas. Cerca de 70 a 80 % das dietas que por aí circulam, são más dietas. Ou seja, são mais prejudiciais do que benéficas. Os resultados costumam ser 2 a 5 quilos a mais, ao fim de 6 meses a 1 ano; Depressões; Maior susceptibilidade e variações de humor; Problemas hormonais ou orgânicos passados alguns anos e outras situações. Não pense que só porque agora se sente bem, você se vai sentir assim para o resto da vida. Os erros pagam-se, e pagam-se caro. Não agora, mas normalmente anos mais tarde quando já nos esquecemos destas coisas.

Má alimentação ou melhor uma alimentação errada. Come-se o que não se deve e não se come o que se deve.

Exercício físico. Pois é, se bem que o exercício físico seja excelente para a saúde, ele também pode ser bastante prejudicial se mal feito ou se acompanhado por uma dieta que não fornece os ingredientes necessários ao corpo. Cada vez mais a nossa alimentação é pobre em nutrientes essenciais mas rica em pesticidas, fungicidas, herbicidas, e outros idas. Desta forma não nos estamos a alimentar mas sim a matar. (Compete a cada pessoa saber aquilo que deseja e lutar por aquilo que é melhor para si).

Existência de demasiadas substâncias tóxicas dentro do corpo. Se o corpo está intoxicado, ele não vai funcionar nas melhores condições e assim não pode impedir a obesidade de se instalar.

Existência de alterações hormonais que alteram o funcionamento do corpo e o levam à obesidade.

Problemas emocionais que alteram por completo todo o funcionamento orgânico. É sabido que os problemas emocionais alteram a química do cérebro e que é este que controla todo o funcionamento do corpo. Assim, de nada serve tentar emagrecer enquanto não se resolverem os problemas emocionais.

Mau funcionamento de alguns órgãos vitais o que impede a boa eliminação de toxinas, ou a queima das gorduras ou que alteram o metabolismo do corpo.

Estas e muitas outras situações contribuem para que a obesidade se tenha vindo a instalar na sociedade. Claro que à conta da obesidade floresce um grande negócio e circulam muitas inverdades, crenças e mitos.

Não vá em cantigas e desconfie daqueles que lhe dizem ter a solução milagrosa. Veja se eles de facto sabem daquilo que estão a falar.

Claro que eu ainda não tenho a tal solução milagrosa mas depois de ter visto muitas coisas (demasiadas coisas e "soluções"), tenho vindo a compreender cada vez mais o funcionamento do corpo e as razões pelas quais ele não funciona nas melhores condições.

Se se quer obter resultados com o corpo, há que compreender como ele funciona e aquilo que ele precisa para funcionar. Só uma abordagem integrada com várias técnicas consegue obter os melhores resultados.

No entanto não é só por se usarem várias técnicas que se obtêm resultados, mas sim por se aplicarem as técnicas e terapias mais indicadas para a pessoa � e para isso é preciso conhecê-las e saber aplicá-las.

 

Leia mais em: http://www.jcsantiago.com/obesidade.html#ixzz2O79TXOyx


------------------------------