------------------------

triac para emagrecer

Triac para emagrece

Até hoje existem pessoas que usam o Triac para emagrecer, mas não sabem dos risco que esse medicamento pode trazer a sua saúde. O Triac já foi fortemente comercializado em países como Estados Unidos e Canada como emagrecedor, mas há muito tempo esses países proibiram a venda do medicamento devidos os grandes riscos que ele pode causar a sua saúde. Os efeitos colaterais do Triac incluem derrame cerebral, infarto e até mesmo morte súbita.

Aqui no brasil o Triac chegou até ser comercializado, mas logo foi proibido a venda pela anvisa.

Como você viu acima não vale apena usar o Triac para emagrecer, tendo em vista os seus efeitos colaterais graves que podem colocar em risco a nossa saúde, sem falar que ele é proibido no brasil.

Hoje em dia existem inúmeras formas de emagrecer com saúde, até mesmo produtos como talk gold, linolen. Que não causam nenhum a mal a sua saúde.

Também existem ervas que podem ajudar como chá verde, chá vermelho, chá branco, chá de oliveira, chá mate.

Opções para emagrecer de forma saudável é oque não falta, e não a motivo pra você recorrer a medicamentos que podem fazer mal a sua saúde.


------------------------

Tiratricol - TRIAC

Proibição, riscos à saúde, auxiliar de emagrecimento

O Tiratricol, também conhecido como TRIAC, é um análogo a hormônio da tireóide. Ele é indicado para o controle da síndrome da resistência ao hormônio da tireóide e usado em combinação com levotiroxina para suprimir a produção de hormônio estimulador da tiróide em pacientes com câncer da tireóide.

O tiratricol foi amplamente comercializado como auxiliar de emagrecimento sob vários nomes comerciais, porém em 1999 e 2000 os órgãos que regulam medicamentos dos Estados Unidos e Canadá alertaram o público sobre os perigos dos suplementos e fórmulas para emagrecer contendo tiratricol. Os efeitos perigosos à saúde provocados pelo tiratricol incluem infarto, AVC e morte súbita.

Atualmente o tiratricol não é aprovado para venda nos Estados Unidos e Canadá. Tiratricol já foi aprovado no Brasil, porém sua comercialização foi suspensa pela Anvisa em 2003 depois de alerta do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Alerta do FDA em Novembro de 2000 contra suplementos alimentares contendo Tiratricol

21/11/2000. O FDA (órgão americano que regula os medicamentos) alerta os consumidores a respeito de produtos comercializados como suplementos alimentares que contêm tiratricol, também conhecido como TRIAC, um potente hormônio tireóide que pode causar sérias conseqüências à saúde, incluindo ataque cardíaco e AVC. Apesar de todos os recalls nos últimos sete meses, vários produtos contendo tiratricol ainda assim chegaram aos consumidores.

A FDA adverte enfaticamente que todos os consumidores parem imediatamente de usar tais produtos e consultem um médico caso esteja sofrendo qualquer um dos seus efeitos adversos, que podem incluir: insônia, nervosismo, sudorese e diarréia.

Alerta do Idec sobre o tiratricol

Em 2003 o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) divulgou alerta sobre os perigos do tiratricol, o qual acabou resultando na proibição da sua comercialização pela ANVISA. O Idec alertou que o tiratricol usado em fórmulas para emagrecimento poderia provocar sérios riscos para a saúde, incluindo taquicardia, palpitações, enfarto agudo do miocárdio, derrame cerebral, insônia, depressão, vômitos, diarréia severa, reações alérgicas e até mesmo morte súbita. O tiratricol só seria adequado para tratamento de pacientes com câncer na tireóide quando a produção dos hormônios T3 e T4 fosse interrompida.


 

------------------------

Médicos querem proibir a venda de cinco remédios para emagrecer

 

Fonte: REVISTA ÉPOCA

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) quer que a venda dos emagrecedores Triac, Trimag, Redulip, Liporex LP e Bieso, à base da substância tiratricol, seja proibida. Usados principalmente por mulheres jovens e nem sempre acima do peso ideal, esses medicamentos provocam efeitos colaterais sérios, como diarréia severa, hipertireoidismo (funcionamento excessivo da glândula tireóide), problemas cardiovasculares, depressão, insônia e osteoporose.

A medida também é defendida pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso). As duas entidades representam os maiores especialistas na área sobre o assunto. "Os médicos sabem dos riscos desses produtos há 20 anos", afirma o endocrinologista Márcio Mancini, presidente da Abeso. "A venda só deve ser permitida para casos de disfunções raras da tireóide e não como emagrecedores", completou Valéria Guimarães, presidente da SBEM.

O tiratricol é uma substância sintética que imita a ação dos hormônios tireoidianos no organismo. Esse princípio ativo acelera o metabolismo, provocando uma ação semelhante ao hipertireoidismo. O remédio emagrece até quatro quilos por mês sem necessidade de dieta, mas devido à perda de massa muscular e óssea. A substância também provoca elevação da pressão arterial e pode levar até a um infarto.

A conclusão do Idec é baseada em um levantamento realizado pelos pesquisadores Otávio de Toledo e Margô Karnikowski, do Núcleo de Estudos de Saúde Pública da Universidade Federal de Brasília (UNB). Eles analisaram dados científicos, bula dos medicamentos e informações ao consumidor no Brasil e em outros países.

De acordo com o relatório, embora necessitem de receita médica, os emagrecedores são vendidos livremente nas farmácias e pela internet. O baixo preço do produto — uma caixa com 100 comprimidos custa, em média, R$ 13 — também facilita o consumo irregular. "O tiratricol está na composição de suplementos alimentares vendidos livremente em academias e em farmácias de manipulação", lembrou Sezifredo Paz, do Idec.

Laboratórios discordam do Idec

Os laboratórios fabricantes dos medicamentos à base de tiratricol usaram a legislação para responder à denúncia do Idec envolvendo seus produtos. Em nota oficial, o Laboratório Aché, fabricante do remédio Triac, afirma que seu produto é seguro e obedece às normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além disso, afirma o laboratório, o medicamento é de tarja vermelha e depende de prescrição médica para ser consumido. Mesmo assim, segundo Valéria Guimarães, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, os médicos dessa especialidade têm recomendação para não prescrever o produto como emagrecedor.

O Triac é usado como base para o desenvolvimento de similares, como o Trimag e o Redulip. "Não posso garantir a toxicidade do princípio ativo, pois essas informações já constam do medicamento de referência", afirmou Telma Salles, gerente de Desenvolvimento de Mercado do Hexal do Brasil Ltda, fabricante do Redulipe. "Mas obedecemos ao controle de qualidade previsto pela Anvisa", completou.

A União Química Farmacêutica Nacional S.A, responsável pela venda do Trimag, também afirmou desconhecer qualquer efeito colateral relatado em relação ao seu produto no país. O Liporex, também da Aché, entrou no relatório do Idec, mas teve o registro cancelado em 2001 por caducidade. Os pesquisadores não conseguiram identificar o fabricante do Bieso, vendido na internet.


-------------------------

Inchaço (Edema) em Dieta para Emagrecer

12/10/2002
Há mais de dois anos tomo diariamente uma mistura de triac (450 mcg), thiomucase (300 utr), hidroclorotiazida (15 mg), KCL (15 mg), cáscara sagrada e fucus vesiculosos.
Na realidade fiz uma única vez o regime de emagrecimento supervisionado pelo endocrinologista que receitou a referida fórmula em conjunto com um tratamento estético de mesoterapia. Na ocasião eu pesava 67 kg. Tenho 1,77 e hoje meu peso oscila entre 58 e 60 kg.
Após alcançar o peso e a forma desejada passei a consumir os mesmos medicamentos por conta própria em conjunto com uma alimentação comum (sem banir a gordura e os açúcares) e bastante água (de 2 a 3 litros diários), somente para manter o peso.

Realmente não engordei mais, mas quando fico sem o remédio por dois ou três dias meus olhos apresentam inchaço e em seguida todo o meu rosto incha.
1) Essa pode ser uma reação da tireóide ?
2) Esses medicamentos podem interferir no ciclo ou especificamente diminuir o fluxo menstrual de alguma maneira ?
Agradeço antecipadamente pela atenção e aguardo ansiosamente por sua resposta.

D.

Resposta

Cara D.:

Você NÃO DEVE tomar essa medicação por conta própria, sem controle médico.

Hidroclorotiazida é um diurético, e cáscara ságrada é um diarreico. Os dois levam a perda de água extremamente perigosa. Ao contrário, se você continua tomando 2 a 3 l de agua por dia, isso é demais. Um ser humano precisa repor apenas cerca de 1 litro por dia, pois a maioria dos alimentos tem uma grande quantidade de água em sua composição. O seu inchaço indica edema de retenção, pois 1) está tomando água demais 2) provavelmente seu rim se habituou a funcionar sob o estimulo do diurético, e não remove a água em excesso tão eficientemente quando você para de tomá-lo. O sinal de edema que você está apresentado é um alerta, indica perigo: você pode até morrer de edema pulmonar, se não tomar cuidado (existem numerosos casos, inclusive uma morte a semana passada em SP).

O Triac é perigoso, pois pode promover uma disfunção do metabolismo e afetar sua glandula tiroide. Está proibido nos EUA pelo perigo que representa.

Seu peso está otimo para sua altura. Não insista com a terapia medicamentosa, faça exercicios regularmente e corte um pouco apenas os carboidratos.

Sinceramente

Prof. Dr. Renato M.E. Sabbatini
Professor-Adjunto, Depto. Genética Médica
Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP



-------------------------

Conheça melhor os remédios para emagrecer

Complementando o meu artigo anterior (Remédios para emagrecer, um mau negócio), vamos conhecer um pouco melhor estas substâncias químicas, usadas de maneira tão irresponsável no emagrecimento a jato.

Derivados anfetamínicos

Anfepramona ou Dietilpropiona ou Benzoiltrietilamina

Femproporex ou Propionitrilo ou Metiletilamina

Possuem potente ação estimulante do sistema nervoso central com efeito inibitório do apetite.

Efeitos colaterais: boca seca, nervosismo, irritabilidade, agitação, insônia, fraqueza, urticária (lesão na pele), taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), aumento da pressão arterial, dor de cabeça, problemas visuais, tontura, náuseas, vômitos, constipação intestinal (prisão de ventre), diminuição da libido, dependência química, depressão e, em casos extremos, quadros psicóticos graves.

Sibutramina

Também atua no sistema nervoso central inibindo o apetite.

Estudos mostraram que o consumo dessa substância aumenta o risco de problemas cardiovasculares, como infarto e derrame. Por este motivo, na Europa a venda desta substancia foi proibida, assim como nos Estados Unidos, Canada, Nova Zelandia, India e muitos outros países. Somente em 2009, foram vendidas no Brasil 67.500 toneladas de sibutramina.

Efeitos colaterais: boca seca, agitação, dor de cabeça, taquicardia, elevação da pressão arterial, constipação intestinal, insônia.

Os derivados anfetamínicos citados acima interagem com inibidores da MAO (antidepressivos) e hormônios tireoidianos. Tem inúmeras contra-indicações. Não podem ser tomados junto com bebida alcoólica nem com calmantes benzodiazepínicos. Perdem a sua ação sobre a inibição do apetite após três meses de uso em média (fenômeno de tolerância).

Calmantes ou ansiolíticos

Clordiazepóxido, Bromazepam, Diazepam

As benzodiazepinas atuam como depressores do sistema nervoso central, e são usadas com o objetivo de anular os efeitos colaterais do tipo excitatório causados por inibidores do apetite e hormônios da tireóide.

Efeitos colaterais: confusão, convulsões, náusea, vômitos, sudorese, tremores, sonolência, torpor, instabilidade emocional, dependência química.

Não podem ser tomados junto com bebida alcoólica nem com derivados anfetamínicos.

Antidepressivos

Fluoxetina , Sertralina

Agem inibindo a recaptação de serotonina, um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar físico e psíquico.

Efeitos colaterais: secura da boca, sudorese, calafrios, prurido (coceira), erupções da pele, urticária, equimose, vasculite (inflamação de vasos sanguíneos), diarréia, náusea, vômito, dispepsia (má-digestão), alteração do paladar, tremores, ansiedade, palpitação, nervosismo, vertigem, fadiga, sonolência, concentração diminuída, processo de raciocínio prejudicado, reação maníaca, insônia, bocejos, queda de cabelos, visão turva, incontinência urinária, diminuição da libido, ausência ou atraso na ejaculação, impotência.

Hormônios da tireóide

Triiodotironina ou Liotironina ou T3, Tiroxina ou T4, Tiratricol ou Triac

Usados nas fórmulas para emagrecer, reduzem a gordura corporal, porém há também grande perda de massa muscular e massa óssea, e seu uso continuado leva inicialmente a um hipertireoidismo, depois causa uma disfunção da tireóide levando ao hipotireoidismo.

Efeitos colaterais: agitação, irritabilidade, tremores, dor de cabeça, febre, fraqueza, sintomas cardiovasculares (taquicardia, palpitações e hipertensão, ataques cardíacos e infarto agudo do miocárdio, morte súbita), neurológicos (insônia, nervosismo, depressão, psicose, derrame cerebral e coma), náuseas, vômitos e diarréia, reabsorção óssea, calores intensos (fogachos), reações alérgicas cutâneas.

Nos Estados Unidos, Canadá e Europa, o uso de tiratricol para emagrecimento foi proibido.

Diuréticos

Furosemida, Hidroclorotiazida

Agem promovendo a eliminação de líquidos do organismo.

Efeitos colaterais: aumento de excreção de sais minerais como potássio, cálcio, magnésio, sódio, cloro, água e outros eletrólitos, desidratação, dor de cabeça, confusão mental, dores musculares, tetania, fraqueza muscular, tonturas, fadiga, alergia cutânea, distúrbio do ritmo cardíaco, desconforto, distensão e dor abdominal, mal estar, câimbras, letargia, nervosismo, tensão, ansiedade, irritabilidade, agitação, sensação de peso nas pernas e impotência sexual.

Não devem ser utilizados para controle de perda de peso, já que não promovem a eliminação de gordura, apenas de líquido e minerais, levando a um perigoso desequilíbrio hidroeletrolítico.

Laxantes

Sene, Cáscara Sagrada, Aloina, Fenolftaleína

Agem estimulando a motilidade intestinal.

Efeitos colaterais: cólica, irritação intestinal, desidratação, câimbras, deficiência nutricional.

O uso continuado não produz emagrecimento e leva à constipação crônica.

Antiácidos – bloqueadores da produção de ácido gastrico

Omeprazol, Ranitidina

Medicamentos que bloqueiam a secreção de ácidos gástricos, utilizados no tratamento da hiperacidez gástrica e úlceras pépticas.

Efeitos colaterais: dispepsia (digestão dificultada), gases, dor de estomago, náusea, vômito, constipação ou diarréia, dor de cabeça, confusão mental, complicações hepáticas, deficiência nutricional (após dois meses de uso), osteoporose, reações alérgicas, queda de cabelos, ginecomastia (crescimento de mamas nos homens), tonteira, depressão, insônia, impotência sexual.

A ranitidina foi alvo de um alerta terapêutico (um informe para médicos e laboratórios sobre efeitos paralelos), publicado pelo CVS (Setor de Farmacovigilância do Centro de Vigilância Sanitária) em 2002, devido aos inúmeros efeitos adversos que apresenta. A ranitidina e o o meprazol estão sendo aplicados em pacientes sem problemas estomacais, com o objetivo apenas de prevenir indisposições provocadas por outros medicamentos.


---------------------------